4 erros e acertos da arbitragem na 36ª rodada do Campeonato Brasileiro

4 erros e acertos da arbitragem na 36ª rodada do Campeonato Brasileiro

Mais uma rodada do Campeonato Brasileiro chegou ao fim. E quem disse que não teve polêmica de arbitragem? Como já é de costume, lances geraram discussão. E nós analisamos quatro deles para formarmos opinião.

Pênalti de Cacá, do Cruzeiro, em Marrony, do Vasco

O Vasco já vencia o Cruzeiro quando, após disputa de bola entre Cacá e Marrony, Wilton Pereira Sampaio assinalou, com convicção, o pênalti. Porém, depois de tudo estar preparado para a cobrança, ele foi chamado ao VAR e voltou atrás na sua decisão.

Opinião da redação: foi um momento um tanto quanto estranho. Com a mesma convicção que assinalou o pênalti, o juiz voltou atrás. Com o replay, fica claro que Marrony tropeçou nas próprias pernas, mas um toque por cima que, se o juiz quisesse, poderia manter sua marcação. Mas, para o bem do futebol, acabou sendo feita justiça.

Falta de Egídio, do Cruzeiro, em Rossi, do Vasco

Logo no início da partida entre Vasco e Cruzeiro, em São Januário, o time carioca puxou contra-ataque e, na entrada da área, Rossi acabou atingido nas costas por Egídio. O juiz nada marcou na hora e, ao esperar a análise do VAR, manteve sua decisão. O curioso do lance é que Rossi estava com parte do corpo dentro da área e outra parte fora.

Opinião da redação: a falta ocorreu e o juiz errou, mas a parte do corpo de Rossi que foi atingida estava fora da área. Talvez por isso o VAR não interviu. É polêmico, mas no mínimo a infração houve.

Pênalti em Alisson, do Grêmio, cometido por Antony, do São Paulo

O Grêmio precisou de poucos minutos no segundo tempo para construir o placar de 3 a 0 sobre o São Paulo. E o placar foi aberto por Luciano, cobrando pênalti sofrido por Alisson. Na ocasião, em velocidade, foi derrubado por Antony.

Opinião da redação: teve gente dizendo que este pênalti, na Europa, não seria marcado. Mas a infração foi clara. Alisson iria fazer o gol quando foi impedido de seguir na jogada. Sem discussão, apesar dos comentários de alguns.

Comemoração de Gabigol + Cadeiras jogadas do gramado em Palmeiras x Flamengo

Ao fazer o terceiro gol da impiedosa vitória do Flamengo sobre o Palmeiras no Allianz Parque, Gabigol fez sua tradicional comemoração em frente à torcida do rival. Quem estava na arquibancada reagiu jogando cadeiras no gramado. O árbitro Ricardo Marques Ribeiro recolhia os objetos e foi interrompido por Felipe Melo, que pegou as cadeiras e as colocou atrás das placas de publicidade.

Opinião da redação: a comemoração é normal e em nada provocativa. Faz parte do futebol e, se alguém quisesse punição a Gabigol, iria ficar querendo. Quanto às cadeiras, o árbitro fez bem em recolher, mas deixar que Felipe Melo interrompesse sua corrida é meio estranho. Ok, a partida estava praticamente decidida e a situação vai para a súmula, mas denota falta de imposição.



Canal no Telegram: Clique aqui e faça parte do nosso canal para receber todas as notícias em primeira mão.