• BICAMPEÃO DA LIBERTADORES
  • HEPTACAMPEÃO BRASILEIRO

#COVID19: Como os clubes irão se manter durante a pandemia do novo coronavírus?

Durante essa pandemia do novo coronavírus que chegou ao Brasil recentemente, os clubes estudam maneiras de se manter ‘saudáveis’ enquanto as competições não retornam. Sem dúvidas, a paralisação irá acarretar problemas em clubes com menor poder aquisitivo. Na Série A, maior parte das diretorias pretendem se concentrar em ações conjuntas, atuando com propostas junto à Confederação Brasileira de Futebol e aos sindicatos que representam os atletas.

– Se considerar que a TV vai manter contratos, que o campeonato será adiado, mas não cancelado, nem reduzido, considerando que não teria evasão de sócios, de patrocinadores, diria que um clube aguenta dois ou três meses, no máximo. Se essa rede que sustenta o clube for mais frágil, tem clube que não suporta 30 dias, disse o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, em entrevista ao programa Faixa Especial, no SporTV.

A proposta enviada pela Comissão Nacional de Clubes aos atletas de Fluminense, Atlético-MG, Grêmio, Palmeiras e Bahia, é uma tentativa de minimizar os efeitos da crise. Na oferta, consta que os jogadores receberiam férias até o dia 21 de abril. Porém, se as competições não retornarem após esse período, a remuneração seria reduzida em 50% durante 1 mês. A redução salarial não foi aprovada pelos jogadores, pois a CLT prevê o desconto máximo de 25%.

Advogado trabalhista e presidente do Fluminense, Mário Bittencourt comentou sobre a proposta e qual seria o acordo ideal entre as partes:“A ideia é tentar manter o maior número de empregos possível. Importante esclarecer: tem se ouvido muito que os clubes estão impondo, mas não é isso, vamos ter dificuldade de acabar o ano, cumprir o calendário”.

Publicado em colunadofla.com.