• BICAMPEÃO DA LIBERTADORES
  • HEPTACAMPEÃO BRASILEIRO

Jogadores da Série A não aceitam redução salarial e pedem intervenção da CBF nas negociações

Na tarde da última quarta-feira (25), a Federação Nacional de Atletas Profissionais (FENAPAF) enviou aos times, um documento recusando a proposta de redução salarial da Comissão Nacional de Clubes. Os jogadores, além de não terem aceitado a proposta, querem a intervenção da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) durante as tratativas de negociação.

Devido ao surto do novo coronavírus no Brasil – e no mundo – diversas atividades esportivas foram suspensas, canceladas ou adiadas. Inclusive, o futebol. Por conta da pandemia, a Organização Mundial da Saúde (OMS) sugeriu que as pessoas ficassem em casa, de quarentena, para evitar que o vírus se espalhe ainda mais. Fato é que a interrupção no esporte levantou uma questão entre os clubes por todo o país: a redução salarial e férias antecipadas de seus atletas.

De acordo com o ‘Lei em Campo’, do Uol Esporte, a proposta dos clubes era de reduzir os salários em até 25%, e decretar férias antecipadas de primeiro até 20 de abril. Os atletas, no entanto, decidiram não aceitar nenhuma redução salarial neste momento. Em relação as férias, os jogadores concordaram, desde que a CBF seja fiadora para o cumprimento no pagamento dos salários de março e das férias em abril.

O Flamengo mesmo tendo uma situação financeira confortável, se comparado aos rivais, decidiu apoiar o pedido de redução dos salários dos atletas de outros clubes. Representantes de alguns rivais chegaram a cogitar que o Mais Querido se manteria distante nessas negociações, por conta de sua base financeira sólida.

A saída, no momento, deve ser o diálogo, pois ainda não há previsão de quando as atividades esportivas serão retomadas e normalizadas. De acordo com as recomendações das autoridades da área da saúde, ficar em casa é a melhor opção. Outro fator fundamental é a higienização das mãos. As secretarias estaduais de saúde contabilizam, até então, mais de 2.560 infectados no Brasil e mais de 60 mortes por todo o país.

Publicado em colunadofla.com.