Léo Duarte diz ser rubro-negro, relembra passado e opina: “Todos nós mudamos o Flamengo de patamar”

Léo Duarte diz ser rubro-negro, relembra passado e opina: “Todos nós mudamos o Flamengo de patamar”

O Flamengo chega na reta final da temporada de 2018, restando apenas seis jogos na tabela do Campeonato Brasileiro, sofrendo críticas por parte da torcida por não ter levantado nenhum troféu este ano, apesar do alto investimento realizado pela diretoria. Apesar dos resultados aquém do esperado, o zagueiro Léo Duarte, formado nas categorias de base do clube, não considera o ano um desastre, e relembrou que o passado era bem mais sofrido para os torcedores.

O defensor de 22 anos destacou, em entrevista coletiva concedida na tarde desta quinta-feira (08), no Ninho do Urubu, que o clube brigou em todas as frentes, apesar de não ter conseguido soltar o grito de campeão. Além de revelar sua torcida pela camisa que veste, Léo não jogou a toalha pelo heptacampeonato brasileiro.

— Desastrosa, não. A gente chegou na semifinal. Passamos pra segunda fase da Libertadores, está brigando pelo título, semifinal da Copa do Brasil. Todos nós mudamos o Flamengo de patamar. Eu sou flamenguista, e o Flamengo brigava na parte de baixo da tabela. E hoje, briga por títulos. Queremos ser campeões do Campeonato Brasileiro. Ano que vem, buscar mais títulos, porque esse ano a Copa do Brasil e o Estadual faltaram.

Para que seja possível continuar acreditando em levantar a taça do campeonato mais importante do país, o Flamengo necessita de uma vitória no clássico contra o Botafogo, no próximo sábado (10), no Estádio Nilton Santos. Enquanto o Rubro-Negro tenta ultrapassar o Internacional, com um ponto a mais, e diminuir a distância para o líder, Palmeiras, que está seis à frente, o rival ainda tenta se livrar das chances de rebaixamento, no 14º posto da tabela. A bola rola às 19h (horário de Brasília).