POR QUAL MOTIVO?

POR QUAL MOTIVO?

Meus amigos flamenguistas, tenho lido e ouvido notícias de bastidores nada animadoras do Flamengo. No meu último texto, antes das eleições, havia dito que sendo Lomba ou Landim eleitos, o Flamengo na parte administrativa estaria em boas mãos, afinal de contas é o mesmo grupo que se formou em 2012, apenas em lados opostos nestas eleições.

Mas os acordos políticos para chegar ao poder feito pela Chapa Roxa começam a causar alguns efeitos que nos remete a um período tenebroso e nefasto de tempos atrás.

Patrícia Amorim pode voltar como VP de Esportes Olímpicos, a mesma dirigente que em seu mandato desapareceu com cerca de 40 milhões de reais, contratou Ronaldinho Gaúcho sem condições de pagar, contratou Vagner Love (Michel Levy também pode estar de volta) em números elevados, já tendo uma dívida enorme com Ronaldinho Gaúcho, aumentou a dívida do clube em esferas quase impagáveis e que agora pode voltar ao clube em uma pasta que teve Alexandre Póvoas e Marcelo Vido vitoriosos em diversas modalidades, (apesar de o remo estar há seis anos sem títulos).

Na eleição do CoDe, Paulo Cezar Ribeiro, então candidato da Chapa Branca, retirou sua candidatura para apoiar Alcides Antunes da Chapa Roxa (este eleito presidente do CoDe), sob uma condição: anistiar politicamente alguns membros, dentre eles o famoso Capitão Léo. Aquele que na gestão Patrícia Amorim tirou Zico com acusações infundadas e posteriormente processado pelo Zico. Durante a campanha o Rodolfo Landim jamais expôs o nome de seus vices na Chapa, seria tal estratégia para não divulgar certos acordos eleitorais?

Ainda temos o anúncio do tal “Conselho Gestor”, ou de palpiteiros como prefiro chamar. Em entrevista dada ontem, o novo presidente disse que não é necessário a presença de um Diretor Executivo e que o Conselho, composto por cinco integrantes e se reportará ao mandatário. Além do próprio Marcos Braz e do vice de relações externas Luiz Eduardo Baptista, o Bap, três integrantes figuram no processo: Dekko Roisman, Diogo Lemos e Fábio Palmer. Eles são ligados, respectivamente, aos grupos políticos FlaFut, Sinergia e Ideologia.

Portanto, guardem estes nomes, pois serão eles os responsáveis pelo futebol do Flamengo. Em minha opinião é uma estrutura arcaica, amadora e composta por pessoas que não tem experiência alguma com o futebol, exceção ao Marcos Braz. Qual clube do mundo é vitorioso com uma estrutura dessas? Corinthians, Palmeiras, Cruzeiro e Grêmio, os clubes mais vitoriosos no Brasil nesses últimos 3, 4 anos, tem essa estrutura de comando no futebol?

Não torço contra para falar que estava certo, sou Flamengo com raça, amor e paixão. Mas não quero o Flamengo retrocedendo por causa de acordos eleitorais e se enchendo de amadores novamente. A chamada “corja” pode estar voltando ao lado de quem pregou profissionalismo, e justamente o que precisava ser ajustado no clube era apenas o departamento de futebol.

Vejo perseguições contra profissionais que desempenharam suas funções de forma competente e para o bem do clube, apenas por terem sidos adversários na eleição. Nomes como Daniel Orlean, Alexandre Póvoas e Flavio Willeman deveriam continuar em suas pastas desempenhando seus papéis.

Uma escolha errada pode ser feita com 1, 3 ou 200 dias de gestão, se não estou esperando anúncios concretos para criticar é justamente porque nossa torcida não tem mais paciência na espera pelos títulos, um dos principais cabos eleitorais do Landim era o “acabou o cheirinho”, então presidente, não venda a sua dignidade e profissionalismo por acordos espúrios que estamos ouvindo. Não deixe que a chamada “corja” retorne à política do Flamengo, um pouco de liberdade dada à Patrícia Amorim já fez um estrago no CoDe, vamos continuar no caminho correto e fazer apenas os ajustes necessários.

Estaremos sempre vigiando.

SRN!



Canal no Telegram: Clique aqui e faça parte do nosso canal para receber todas as notícias em primeira mão.