Representante do Conselho Estadual da Criança e Adolescente fala que vítimas estavam em condições subumanas, mas volta atrás

Representante do Conselho Estadual da Criança e Adolescente fala que vítimas estavam em condições subumanas, mas volta atrás

Na manhã desta segunda-feira (11), Márcia Gatto, representante do Conselho Estadual da Criança e do Adolescente, foi ao Ninho do Urubu para fazer a inspeção no local após a tragédia que deixou dez meninos mortos e três feridos. Antes de entrar, ela falou com a imprensa dizendo que os meninos estavam em ‘condições subumanas’, mas acabou voltado atrás.

“O que aconteceu tem responsável. Os meninos estavam em condições subumanas, em contêiners. A gente sabe de acordo com tudo que foi mostrado, não apenas pelas irregularidades. Temos o dever de acompanhar tudo que envolve a criança e adolescente”, disse a representante.

Logo depois, Márcia foi questionada sobre o que seriam condições subumanas, mas se arrependeu da declaração: “Acho que eu me precipitei. Peço desculpas. Vamos entrar para ver como é. Devíamos até ter vindo antes”, falou.

Quando perguntada sobre a semelhança dos conteiners do CT do Flamengo com os da UPPs e UPAs, ela não soube responder e afirmou que os atendimentos são diferentes.