Flamengo  RJ
menu
search

Flamengo sofre com custos e fica com apenas 41% da receita de bilheteria do Maracanã em 2022

06 de agosto de 2022 às 10:58h
Flamengo sofre com custos e fica com apenas 41% da receita de bilheteria do Maracanã em 2022

Despesas altas e manutenção do estádio são responsáveis por reduzir ganho líquido do Rubro-Negro

O Flamengo está começando a fortalecer a ideia de construir a própria praça esportiva. Entre os motivos, está o fato de o Rubro-Negro ficar com menos da metade das receitas do Maracanã, deixando de ter, assim, elevado faturamento nos duelos como mandante.

Nos borderôs das partidas e no balanço financeiro do primeiro semestre de 2022 do Flamengo, ficou comprovado as altas despesas de operação de jogos e o elevado custo de manutenção do Maracanã. Com isso, o ganho líquido do Rubro-Negro sofreu uma redução drástica, como publicou o jornalista Rodrigo Mattos, do Uol Esporte.

O Flamengo acumulou receita bruta de R$ 18,7 milhões em dez jogos disputados no Maracanã, tanto do Campeonato Brasileiro quanto da Libertadores da América – não foi levado em conta a renda do jogo em Brasília, contra o Botafogo. No total, as despesas nos duelos citados foram de R$ 11,1 milhões.

A equipe carioca, com isso, ficou com somente 41% da renda dos jogos: R$ 7,6 milhões. Na Libertadores, inclusive, esse percentual foi ainda menor, somente 37%, porque as operações de seguranças exigidas pela Polícia Militar são maiores, como informou o jornalista Rodrigo Mattos.

As despesas para manutenção mensal do estádio atingiram R$ 2 milhões no primeiro semestre, ou seja, pode chegar a R$ 24 milhões no ano, incluindo outorga para o Estado do Rio. Além disso, o Consórcio Maracanã tem que fazer consertos na praça esportiva, como o investimento realizado no gramado. Na prática, Flamengo e Fluminense, atuais concessionários do local, ficam com menos da metade da receita gerada.

O levantamento, vale frisar, foi feito por meio das bilheterias de jogos do Brasileirão e da Libertadores da América, além das rendas de venda de camarotes, comidas, bebidas e patrocínios do Maracanã. Não foram incluídos, assim, as partidas das finais do Campeonato Carioca. Além disso, não tiveram duelos da Copa do Brasil na praça esportiva no primeiro semestre.

As rendas no Maracanã, obviamente, entram na discussão do estádio próprio do Flamengo, pois o clube carioca poderia aumentar a porcentagem do faturamento. Todos estes fatores estão sendo analisados pelo Rubro-Negro, que espera a Caixa Econômica Federal terminar o estudo de viabilidade da região do Gasômetro, no Rio de Janeiro. Ao saber do preço pedido pela região, o Fla decidirá qual melhor caminho a ser seguido.

Publicado em colunadofla.com