Delatado na “Lava-Jato”, Rodolfo Ladim é acusado, também, de receber propina no MT e de improbidade em Campinas/SP

Delatado na “Lava-Jato”, Rodolfo Ladim é acusado, também, de receber propina no MT e de improbidade em Campinas/SP

No último domingo (04), revelemos que Rodolfo Landim, candidato a presidente do Flamengo, foi delatado pelo corrupto Ricardo Duque como recebedor de propina no famoso caso do “Petrolão”, investigado pela Operação Lava-Jato:

 

 

Mas a folha corrida de Landim não se limita a este episódio.

Noutro escândalo envolvendo a Petrobrás, o Ministério Público e a Fazenda do Estado investigam improbidade administrativa envolvendo o Governador do Mato Grosso, Silval Barbosa, com executivos da Petrobrás, entre os quais o candidato a presidente do Flamengo, num esquema de execuções fiscais fraudulentas com objetivo de desviar recursos para a suposta quadrilha.

O inquérito, à cargo do promotor Clóvis de Almeida Junior, será concluído em janeiro de 2019, ou seja, se eleito, Landim poderá comandar o clube na condição de réu por corrupção.

Elementos não faltam para isso: o Governador Silval Barbosa já aderiu à delação premiada, confessando ter pagado 6% de propina aos dirigentes da Petrobrás, referentes às obras de pavimentação MT integrado.

Funcionava assim: as construtoras executavam as obras de infraestrutura, o Governo fazia as medições e estipulava os valores, repassando-os à Petrobras (já com sobrepreço), para que esta quitasse a conta.

Depois, o montante era descontado do que a petrolífera deveria pagar ao Estado em ICMS.

Confira abaixo as nove execuções fiscais que estão sendo investigadas pelo MP-MT com o nome de Rodolfo Landim em destaque:

Existe ainda outra ação, também por improbidade administrativa, em trâmite da 1ª Vara de Fazenda Pública, em que executivos da Petrobrás são acusados, em 2008, de lesar os cofres da cidade de Campinas.

O rombo atinge R$ 3 milhões (R$ 5,7 milhões, corrigidos).

Um dos réus é Rodolfo Landim.

O Ministério Público de São Paulo pede não apenas a condenação dos envolvidos, mas também o ressarcimento dos valores aos cofres públicos:

Clique no link a seguir e baixe a íntegra da acusação do MP-SP contra os executivos da Petrobrás:

Ação de Improbidade – MP-SP vs Rodolfo Landim

Em fevereiro de 2017, após inúmeros recursos protelatórios, entre os quais tentativa de Landim de ser retirado do processo, o STJ decidiu que o caso deve ser julgado, e a sentença, provavelmente, será proferida em meio ao mandato do novo presidente do Flamengo.

Se já era temerário o Flamengo correr o risco de eleger um presidente delatado por corrupção na “Operação Lava-Jato”, diante dessa nova lista de problemas, até então desconhecida do torcedor rubro-negro, entregar o clube nas mãos de Rodolfo Landim torna-se um ato de profunda irresponsabilidade.