HORA DE MUDAR

HORA DE MUDAR

Meus amigos flamenguistas, melhor elenco dos últimos 20 anos, estrutura de primeiro mundo, salários em dia e com cinco meses de trabalho o Flamengo não tem um time e muito menos um padrão tático definido.

Uma das principais críticas ao Abel no início do ano era de que seria retranqueiro, que lotaria o meio com volantes e outras coisas do gênero. Mas o que vemos é um time que sofre gols em quase todas as partidas (até aqui são 27 gols sofridos em 30 jogos disputados), e em apenas 8 jogos não sofremos gols.

Na partida de ontem o que se viu foi uma equipe extremamente organizada, com apenas três titulares colocando o milionário Flamengo na roda. Se na partida contra o Atlético Mineiro, com um jogador a mais, levantamos 50 bolas na área (isso mesmo, 50), ontem foram 27. Alguns podem falar: “mas viramos o jogo com dois gols de cabeça”. Sim, mas limitar esse elenco a alçar bola na área, inclusive com cobrança de lateral, é um crime cometido contra o futebol.

A culpa é somente do Abel? Óbvio que não. A diretoria tem grande parcela de culpa também. Afinal de contas contratou um técnico com idéias diferentes do elenco que possui.

Abel gosta de um jogo vertical (na verdade de contra-ataque), onde possa jogar com um centroavante enfiado, com laterais e meias de lado velozes e um meio campo que faça lançamentos. Não gosta de ter a bola e procurar espaços com infiltrações, pois acha esse tipo de jogo inútil.

São as idéias dele, e não cabe a torcida discutir se está errado ou não. Mas cabe sim a quem contrata e cobra o trabalho do treinador. A diretoria não pode apenas analisar resultados, mas sim o desempenho e projetar o restante do ano. Hoje o trabalho do Abel é pífio, de regular para ruim, onde não consegue tirar o melhor de cada jogador, não consegue fazer o time render e se impor nas partidas. Ele quer emular o Palmeiras no Flamengo, só se esquece que pelas bandas de lá o elenco foi formado para aquele estilo de jogo desde a época do Cuca em 2017.

Nosso elenco é técnico, formado para ter a bola e controlar o jogo. Como efeito de comparação, no ano passado o Flamengo era o time que menos sofria gols e que mais passava jogos sem ser vazado na defesa, e apenas tivemos uma alteração, saiu o Réver e chegou o Rodrigo Caio.

Ontem o Flamengo virou o jogo não pelas mexidas do Abel, mas sim pela vontade dos jogadores em dar uma resposta à torcida que xingava e vaiava o técnico. O Flamengo virou como sempre fez ao longo dos anos, com a força da torcida e da camisa. Mas isso não faz ganhar campeonatos, apenas isso não faz o time ser confiável, pode até vencer como venceu ontem, mas nunca fará ganhar um título, nunca fez.

Ontem o Abel querendo valorizar o adversário, disse que o Tiago Nunes fez uma grande mexida ao colocar mais um zagueiro, que ele faria o mesmo faltando cinco minutos e que não poderiam criticar o técnico do CAP. Eis que na coletiva de Tiago Nunes ele vem com a seguinte declaração: “Assumo toda a responsabilidade pela derrota. Principalmente pela opção tática com a substituição do Paulo André, de defender mais do que atacar, o que geralmente não é a nossa característica”. Um é motivador e entregador de colete, o outro é treinador estudioso, que faz a leitura de jogo e não tem medo de reconhecer que errou. Diferente do Abel que quando perde acha normal ser derrotado, que não errou no jogo e que sempre o time foi bem.

Ou a diretoria muda o rumo do Flamengo, ou teremos mais um ano jogado no lixo.

Saudações Rubro-negras!