DESNECESSÁRIA TENSÃO

DESNECESSÁRIA TENSÃO

DUVIDO que, neste momento, haja algum torcedor entre nós achando que está tudo uma maravilha ou esbanjando confiança. Não importa se faz parte da turma que culpa o Abel, dos que responsabilizam o Diego, os laterais, miolo de zaga ou tudo isso junto.
Geral tá pra baixo!
E não vai ser uma classificação para final de Carioca, conseguida apenas através do regulamento e contra uma equipe de nível MUITO inferior, a restabelecer a confiança de todo mundo.

Por sinal, como é estranha, e estressante, essa oscilação nos sentimentos do torcedor! Ao final do jogo contra a LDU, eu esbanjava confiança. Fui dormir imaginando que os 18 pontos eram perfeitamente alcançáveis. Era perceptível o ganho de entrosamento entre tantos jogadores qualificados e um consequente poder de fogo impressionante. Faltava apenas apurar um pouquinho mais a pontaria, para podermos, finalmente, voltar a DISPUTAR um título de Libertadores, depois de TANTOS anos.

Mas bastaram apenas 90 minutos para tudo se inverter.

Hoje, honestamente, se botarem na minha frente um papel garantindo o segundo lugar no grupo, eu ASSINO NA HORA. Já esgotei minha cota de decepções e sofrimentos com a Libertadores. Nessa competição, infelizmente, os Deuses conspiram contra nós e o altamente improvável se transforma em tremendamente possível. Se ficarmos na dependência do outro resultado na última rodada ...
Já vi esse filme e nem quero pensar nisso!

PÔ, até quando vamos continuar batendo recorde de público para presenciar Micos? Isso contraria totalmente uma das nossas características principais. Ultimamente, se tem chance de recorde de público, eu já começo a tremer.
O Flamengo vem parecendo aquele cara boa pinta pra cacete, rico pra cacete, inteligente pra cacete, bom caráter, gente boa, simpático, engraçado ... mas é sabido que, quando chega na hora dos “finalmente”, ele nega fogo.

Ao contrário do que imaginava, o Peñarol não veio para cá usar de catimba ou tentar ganhar no grito. Veio, sim, bem armado e sem se intimidar com nossa camisa ou com os quase 70 mil no estádio. Sobrou PERSONALIDADE ao time deles e faltou humildade para o nosso treinador, ao imaginar que, jogando com menos um contra o Peñarol em uma Libertadores, o empate (que praticamente nos garantiria na próxima fase) não devesse ser considerado.

Logo ele, que conhece e já até conquistou essa competição, cometer esse erro PRIMÁRIO? Com a reconhecida capacidade do nosso elenco, se torna inevitável que a quebra de confiança da torcida recaia sobre o treinador, fazendo com que a última quarta possa acabar se tornando o primeiro dos últimos dias do Abel no Flamengo.

Como agravante, fica difícil entender um treinador, que foi zagueiro, não conseguir resolver um problema CRÔNICO da nossa defesa, de, sistematicamente, tomar gols em jogadas de bolas aéreas. Basta uma rápida olhada entre os predicados dos campeões das competições mais importantes nos últimos anos, para percebermos o quanto é importante a solidez defensiva. E o Flamengo, deste ano, não parece ser um time que saiba se defender. Pelo contrário! O gol que levamos do Flu no sábado, nem em pelada de domingo vemos times descentes tomarem.

O que reforça minha convicção, respeitando as demais, que já explicitei aqui reiteradas vezes. Mais até do que laterais e volante, o Flamengo precisa, URGENTEMENTE, é de ZAGUEIROS. Desse jeito mesmo, com “S” no final.

A consequência de toda essa reversão de expectativas é que VAMOS PRECISAR pontuar nos jogos fora que faremos, além de, É CLARO, fazer três pontos amanhã, de preferência, com um bom saldo de gols. O jogo que poderia ser o Carimbo da nossa classificação para a próxima fase, que deveria preceder uma enorme festa no estádio, acabou se transformando em uma perigosa, ansiosa e tensa, obrigação.
Sendo assim ...

PRA CIMA DELES, MENGÃO !!!

.

Clique aqui e faça parte do nosso canal do Telegram e receba todas as notícias em tempo real.