• BICAMPEÃO DA LIBERTADORES
  • HEPTACAMPEÃO BRASILEIRO

Vigilância Sanitária do Rio se posiciona sobre encontro com Flamengo e reforça pedido por normas de prevenção

Após o Flamengo enviar representantes à sede da Secretaria de Vigilância Sanitária do Rio de Janeiro, para esclarecer sobre as atividades no Ninho do Urubu, o órgão se posicionou sobre o ocorrido. Segundo divulgado pelo jornalista Renan Moura, da Rádio Globo, a VISA informou que o clube Rubro-Negro esclareceu sobre as atividades que foram desenvolvidas no Centro de Treinamento George Helal nesta semana.

Além disso, a Vigilância Sanitária também enfatizou, no comunicado oficial, que o Flamengo se comprometeu a cumprir as normas determinadas para prevenção da Covid-19. O clube Rubro-Negro foi multado em R$2.967 por não ter permitido que os fiscais da VISA entrassem no Ninho do Urubu, para averiguarem as atividades que estavam sendo realizadas.

Confira a nota: 

“Representantes do Clube de Regatas do Flamengo estiveram na Vigilância Sanitária nesta sexta-feira, 22/02, para esclarecer por que fiscais do órgão e da Coordenadoria de Licenciamento e Fiscalização da Secretaria Municipal de Fazenda foram impedidos na quinta, de entrar no centro de treinamento que, por isso, acabou multado. No encontro, técnicos da Vigilância reforçaram a importância do cumprimento do Decreto 47.282/20, com medidas de enfrentamento à pandemia de Covid-19, como a restrição de aglomeração. O clube se comprometeu a atender as normas sanitárias fundamentais para a prevenção de riscos à saúde pública.”

Ganhe dinheiro com capinhas e acessórios do Mengão!

Em contato com a reportagem do Coluna do Fla, o Flamengo afirmou que os fiscais chegaram ao Centro de Treinamento George Helal quando todas as atividades já tinham sido encerradas. Por isto, os representantes da prefeitura não puderam entrar no Ninho do Urubu para averiguar o que acontecia. A autuação foi baseada no artigo X, do Código Sanitário Municipal, que consiste em “Dificultar a ação fiscalizatória das autoridades sanitárias competentes no exercício de suas funções e, também, constranger ou tentar subornar servidor público”.

Publicado em colunadofla.com.